Previsões

O que se segue é uma lista parcial das consequências geométricas (e, portanto previsões) da teoria quântica espaço (QST):

  1. Embora o vácuo superfluido é não-relativista, pequenas flutuações no fundo superfluido deve obedecer Lorentz simetria. Isto significa que, para condições de baixa Momenta a teoria espera para capturar as expectativas da relatividade geral. Mas em altas condições Momenta alta energia e da teoria newtoniana projecta expectativas sobre os relativistas. Portanto, a teoria prevê que, quando objetos maciços são acelerados até perto da velocidade da luz irão exibir efeitos que contradizem a relatividade geral em favor de projeções newtoniana.
  2. a geometria do QST prevê que existe um limite máximo e mínimo para a curvatura do espaço-tempo. A proporção da circunferência de um círculo com o seu diâmetro pode ser utilizado para representar estes limites. Em regiões de curvatura zero este rácio assume o valor de 3,141592653 ... ou π. Uma geometria quantizado que requer um máximo de corte para existe também a curvatura, o que leva a um valor mínimo para este rácio oposta. Trabalho está em andamento para mostrar que quando quantização é definido na escala de Planck o valor mais contrastantes para este rácio será 0,085424543135 (14), um número que estamos representando com a letra cirílico ж (zhe pronunciado). Este número, juntamente com π e os cinco parâmetros Planck de espaço-tempo quantizado (l P, m P, t P, A P, T P, π e ж), qst prevê os valores de 31 das constantes da Natureza com extrema precisão! Veja as constantes da natureza página.
  3. A teoria prevê que a temperatura mudanças de fase dependentes existem no espaço - regiões onde a conectividade média geométrica do quanta de transição espaço de um estado para outro. Além disso, a teoria prevê que, porque a temperatura do fundo é universo de arrefecimento (o comprimento de onda médio da radiação cósmica de fundo radiação está a diminuir), a fracção do espaço caracterizada por a geometria mais denso deve tornar-se mais prevalentes com o tempo.
  4. QST prevê que, com base na quantização, o número de dimensões nas geometrias supersymmetric estão ligados pela seguinte sequência: f (n) = 3 n + n, onde n = um número inteiro. Geometrias supersymmetric são, por conseguinte, previsto para estar disponível em (4, 11, 30, 85, 248, 735, 2194, 6569, 19692 ...) dimensões. A partir de 2008, 248 dimensões foi o colector supersymmetric mais alto confirmado.
  5. A teoria prevê que os raios média de halos de matéria escura deve diminuir à medida que a produção de energia da galáxia hospedeira diminui. Ela prevê que, comparando halos contemporâneos devemos achar que o raio médio desses halos deve depender da produção de energia da galáxia hospedeira e que a ainda mais a temperatura do espaço fundo cai abaixo da temperatura de transição de fase crítica quanto menor o raio médio de halos de matéria escura deveria ser. Daqui resulta que os raios de halos de matéria escura locais deverão diminuir no futuro (com uma dependência de saída de sua galáxia hospedeira).
  6. a geometria do QST requerem efeitos que aparecem para mapear os efeitos da gravidade, electromagnetismo, as forças nucleares fracas e fortes. Quando um formalismo matemático completo é concluído deve ser capaz de determinar se ou não esses efeitos ditadas pela geometria do QST corresponder precisamente os pontos fortes medimos para os efeitos na natureza. A previsão de QST é que eles fazem.
  7. qst também retrata as origens dinâmicos da equação de onda. Esta lança nova luz sobre redução de estado ou colapso de onda. Ele sugere que o colapso da onda é uma qualidade que depende de uma vantage dimensionalmente reduzida - apenas um vislumbre das dinâmicas mais profundas que ocorrem no seu conjunto. Portanto, qst prevê que o determinismo pode ser restaurado em um formalismo concorrência.
  8. qst prevê que, urânio no campo gravitacional "A" irá decair de forma diferente a partir de urânio em campo gravitacional "B" se a magnitude dos dois campos são diferentes. Perto de um buraco negro mais espaço-tempo curvatura - uma densidade espacial mais alta - e isso significa que o mar do espaço-tempo quanta é menos provável de fornecer um "túnel" disponível para uma partícula de navegar através. Em densidades espaciais mais elevadas torna-se mais difícil para qualquer objeto maior do que um único quantum de se mover através das dimensões superspatial sem interagir com qualquer outro quanta de espaço.
  9. A teoria prevê que tunelamento quântico deve ser menos frequentes em regiões de maior curvatura (regiões com uma maior densidade de espaço quanta). Portanto, a frequência de tunelamento quântico em nosso universo deve aumentar com o tempo (que aumenta à medida que diminui a temperatura do espaço fundo). Uma vez que os processos estelares depender túnel quântico, que pode ser prático para testar a mudanças na contribuição de encapsulamento quântica para esses processos estelares com a tecnologia actual.
  10. a geometria do QST prevê que infinidades ilógicos podem ser eliminados dentro do nosso quadro axiomático e que qualquer aumento enorme de liberdade funcional pode ser evitada devido às dimensões adicionais neste mapa.
  11. qst prevê que as bordas i nterior de halos de matéria escura deveria ter sido mais longe dos centros de suas galáxias no passado distante porque a temperatura do espaço fundo foi maior. Como o espaço esfriou esses halos deveria ter reduzido seus raios interior. Galaxies que dão à luz a pouco a nenhuma estrela e gerar pouco calor deve ter halos de matéria escura com raios estatisticamente diminuída. Esta condição pode ser verificado através da comparação de halos de matéria escura do passado distante para halos mais recentes, e comparando o tamanho dos halos com a temperatura interna média da galáxia hospedeira. Se encontrarmos vários anéis sucessivamente distantes Einstein e ou galáxias espirais com anéis polares dispersos ao longo das vastas regiões do espaço-tempo, então devemos ser capazes de comparar observação com as previsões do QST em relação ao raio interno de halos de matéria escura mudando à medida que o universo tem arrefecida.
  12. um outro teste para esta imagem virá a partir de medições da temperatura interna do espaço dentro de galáxias espirais em comparação com as temperaturas dentro de galáxias em forma de barra. Devemos achar que ao longo do tempo galáxias de disco espiral deve colapso em rotação de galáxias em forma de barra, a menos que eles são estabilizados por uma mudança de fase no próprio espaço-tempo, o que teria o efeito de aparecer como uma distribuição incorporado esférica da matéria (a urdidura no espaço-tempo) em a própria galáxia. Isto significa que, em média galáxias espirais que entraram em colapso ou estão em colapso em, galáxias em forma de barra deve ser mais quente do que em temperatura estável em espiral galáxias de disco com a mesma massa. Este aumento na temperatura levaria a borda interior do escuro da galáxia matéria de halo exterior - além do alcance dos braços espiralados - e seria, portanto, permitir que o colapso prosseguir em direção bar-forma. Temperaturas mais frias galácticos, por outro lado, irá produzir halos de matéria escura que começam dentro do alcance dos braços espiralados e vontade, portanto, estabilizou a forma de disco em espiral. Ao verificar para estas diferenças de temperatura e correlações podemos testar algumas das previsões deste modelo.
  13. A teoria nos leva a esperar que, quando os raios gama mais alta-energia chegar do Supernova extremamente distante, que deve ser menor do vermelho-deslocado em proporção com a diferença de tempo entre a chegada dos raios gama e os comprimentos de onda remanescentes, dividido pelo viagens tempo de os comprimentos de onda mais longos.